quarta-feira, fevereiro 23, 2011

Vicious Cycle


Lately I’ve been thinking if people can actually change
Well…. I believe so...No I don´t! Who am I kidding?
I mean, I want to believe that
But think about it….
You are what you are because of all of
the things you’ve seen, experienced, heard and felt
And then…. Suddenly because of a bad experience
You think you can change
You look at yourself in the mirror
And you feel ashamed of all the things you’ve done
Your heart is sore
And you don’t want to feel this pain ever again
´Cause you know that this pain won’t go away so easily
But you are still looking in the mirror
When, suddenly, everything starts to make sense
Ok, you know, you did recognize all the bad things you’ve made
And you took the blame, all of it
But why?
Because you are now a better person?
I’d like to think so! That’d be perfect!
But looking in that mirror,
deep inside those, now huge, dark pupils,
You can see through yourself,
And the question comes up…
Why do you want to change so badly?
Maybe because you don’t want to cause any more pain to anybody else?
Yes, maybe! In the perfect world!
But maybe….
You want to change because you can´t stand the pain anymore!
So…that’s it?
Am I nothing but a selfish person?
Maybe I am
Maybe that’s the whole problem
I just want to change because I´m trying to protect myself
Jesus… that´s fucked up!!!
I´m stuck in a fucking vicious cycle
And I can´t get out of it!!!
Well… I guess I’ll have to learn how to live with myself,
And with all the pain that comes with it!

Deixe seu comentário!!!

#NowPlaying: Pink Floyd - Time

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

O que eu vim fazer aqui mesmo?


Fomos colocados em um mundo cheio de escolhas
Como quem luta uma guerra
Você pode escolher com qual arma vai lutar
Você pode escolher em qual posição lutar
Você pode escolher com qual estratégia lutar
Porém tudo não passa de ilusão
A escolha mais importante nunca nos foi dada
Na guerra não queremos estar
Mas infelizmente a guerra é tudo o que conhecemos
Alguém deu o disparo
E nós ficamos para trás
Agora estamos correndo
Tentando alcançar
Mas não sabemos o que e nem pra onde
A vida é assim
O meio é o novo fim
Pode ser descrita de muitas maneiras
Muitas analogias podem ser feitas
Mas a verdade
É que fomos jogados aqui com um propósito falso
Pois mesmo quem nos ensinou o caminho
Já esqueceu qual é o nosso principal objetivo
Talvez nunca tenham sabido
Talvez quem os ensinou já tivesse esquecido

obs. Escrito em 27/08/2010




Deixe seu comentário!!!

#NowPlaying: Dire Straits - Tunnel of Love

quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Que país é esse?


Dizem que o povo brasileiro é solidário, mas o verdadeiro motivo pelo qual aqui no Brasil não existem protestos, pelo menos que sejam relevantes, é justamente porque somos o contrário disso! Somos um povo egoísta, não respeitamos idosos, no Metrô, fingimos estar dormindo para não ceder o lugar, no trânsito, aceleramos o carro para passar antes do pedestre atravessar a rua, o nosso famoso jeitinho brasileiro é o jeito que encontramos para dizer que acabamos, perdoem o vocabulário, de foder alguém para se dar bem.

Os políticos e todos os homens de poder corruptos do nosso país são um mero reflexo da sociedade, não podemos esquecer que aqueles homens de terno que roubam os nossos dinheiros diariamente de todas as maneiras imagináveis, foram um dia, cidadãos comuns como nós, ou seja, todos nós, todos mesmo, temos grande potencial para nos tornamos pessoas tão desprezíveis quanto os Sarneys e os Collors desse Brasil varonil.

Estamos tendo a oportunidade de ver o povo maltratado do Egito, literalmente, quebrando tudo. Uns podem dizer que o que estão fazendo é uma barbárie, que é errado, que um erro não pode ser justificado por outro, mas no meu ponto de vista, eles chegaram ao limite, suas famílias estão em desespero, falta pão e leite, a fome já não é mais um pesadelo, mas sim uma realidade, e quando isso acontece é hora sim de se usar o último recurso de defesa do ser humano: a violência!

E é isso mesmo que os pobres coitados dos Egípcios estão fazendo, usando a violência como arma de defesa! E querem saber? Eles estão chegando a algum lugar! Dificilmente resolverão os problemas do país permanentemente, mas acreditem, depois dessa, o Egito nunca mais será o mesmo.

Agora voltando ao nosso querido Brasil, eu acho sinceramente, que já ultrapassamos o limite, assim como os nossos amigos que estão lutando, enquanto escrevo, na terra das Pirâmides. Aqui, como no Egito, temos crianças morrendo de fome e sede, temos pais de famílias desempregados, corrupção então, somos os reis, mas eu e vocês que me lêem agora, não vamos fazer nada, sabe por quê? Porque estamos bem, temos emprego, internet, carro novo, celular, roupas limpas e etc., mas o principal motivo pelo qual não faremos nada é bem simples, nós somos brasileiros, e brasileiros, volto a dizer, são seres egoístas, me desculpem os mais patriotas (lê-se idiotas), mas eu tenho vergonha de ser brasileiro! Infelizmente, bunda e futebol não são motivos suficientes para eu me orgulhar desta nação.

Mas antes de terminar este texto gostaria de repetir uma frase que é dita com freqüência em sessões de terapia:

“O primeiro passo é aceitar o problema”

Eu já dei o primeiro passo!

Ass. Jorge Perez

#NowPlaying: Jet - Let Me Out

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Hot Fuss - O Melhor álbum da década!



Já faz um tempão que venho querendo escrever sobre o Hot Fuss, mas estava esperando o fim da década, já que nunca se sabe o que pode acontecer aos 45 do segundo tempo! Então agora que os anos 00 já se foram eu posso finalmente afirmar que o Hot Fuss foi, para mim, o melhor álbum da década.

Eu sempre tive o hábito de levantar de manhã e colocar na MTV (por falta de opção) para ouvir alguma coisa enquanto me troco, e admito, há uns 10 anos, talvez até um pouco menos, lá ainda tocavam algumas coisas, se não boas, pelo menos relevantes. Foi o caso do The Killers, o ano acho que era 2003, ops quase, acabei de ver no Google que foi em 2004, curiosamente no dia do meu aniversário (15/06/04) que eles lançaram seu álbum de estréia e “Somebody told me”, o primeiro single da banda, já em meados de 2005 não parava de tocar aqui no Brasil (você que está lendo e não faz idéia do que eu estou falando, com certeza também conhece essa música). 

Quando maio de 2005 chegou, eu fiz minhas malas e me mandei pra Sydney, lá a trilha sonora do momento era “Mr. Brightside”, que tocava sem parar nas baladas, sério, às vezes tocava 2,3 vezes na mesma noite, e realmente merecia, era muito boa! Quando descobri que essa música era também do The Killers não demorei muito pra dar uma passada numa lojinha que tinha lá no canto esquerdo de Bondi que chamava Dirt Cheap Cds para comprar o Cd da banda de Las Vegas, e o nome da loja não decepcionava, os CDs eram baratos mesmo, acho que paguei uns AU$10,00 pelo “Hot Fuss”.

Lembro que fiquei ouvindo The Killers sem parar por alguns meses, o que inevitavelmente acabou marcando a minha passagem pela terra dos Kangaroos, e na moral, foi uma bela passagem!

Hoje, pouco mais de cinco anos passados desde o lançamento do debut album do The Killers, ainda o ouço com o mesmo prazer de antigamente, a única coisa que mudou foi que hoje rola um pouco de nostalgia também, o que acaba deixando o cd ainda melhor.

Agora antes que me critiquem, gostaria de explicar que quando digo que o “Hot Fuss” foi o melhor álbum da década passada, não estou dizendo isso só porque talvez as músicas dele tenham um certo valor, digamos, emocional para mim, mas estou também levando em conta os outros álbum importantes da década que também gosto muito, são os casos de “Is This It” do Strokes “Youth and Young Manhood” e “Aha Shake HeartBreak” ambos do Kings of Leon, “Funeral” do Arcade Fire, o homônimo álbum de estréia do Franz Ferdinand, “Absolution” do Muse, tem também o “Whatever People Say I Am, That´s What I´m Not” do Arctic Monkeys e mais um monte, mas não vou ficar listando um por um.

Mas enfim, em outras palavras, Hot Fuss marcou os anos 2000 para mim do mesmo jeito que o “Srgt. Peppers” deve ter marcado a vida das pessoas que gostavam de Rock´n Roll nos anos 60, e se você ainda não parou pra ouvi-lo com atenção, está vacilando! Vale muito a pena mesmo, e se você discorda de mim e acha que o CD “falsiê” do Asa de Águia e o da Lady Gaga que você comprou na barraca foram os melhores da década, por favor guarde para você, porque eu não estou nem um pouco interessado em dividir as suas opiniões sobre música.

Lembrem-se por favor, o meu intuito em escrever neste blog é apenas o de expressar os meus pontos de vista, sejam eles certos ou errados.

Obrigado a todos que sempre me visitam!

Deixem seus comentários!!!

#NowPlaying:  The Checks – Terribly Easy